Starz está divulgando através de diferentes sites de notícias, cada personagem tem seu próprio video falando sobre o tal dia do milagre. São ao...

Starz está divulgando através de diferentes sites de notícias, cada personagem tem seu próprio video falando sobre o tal dia do milagre. São ao todo 6 vídeos…Confiram:

Para começar, o veterano, Capitão Jack (John Barrowman):

Esther Drummond (Alexa Havins):

Oswald Danes (Bill Pullman):
Confira o vídeo aqui! (Colocaremos esse e os seguintes assim que acharmos no youtube/dailymotion/vimeo)

Gwen Cooper (Eve Myles):
Link pro vídeo.

Rex Matheson (Mekhi Phifer):
Link pro video.

Jilly Kitzinger (Lauren Ambrose):
Link.

Universo Who

Publicações feitas por colaboradores que em algum momento fizeram parte da história deste site desde 2009, mas que não mais fazem parte do projeto.

  • blacksonnenblume

    junho 9, 2011 #1 Author

    nossa to louca pra ver esse novo Torchwood, parece que vai vai ser bem mais “pesado” do que antigamente…

    Responder

  • Bianca Cavani

    junho 9, 2011 #2 Author

    Eles tinham que me deixar mais atiçada do que eu já estava?! Ah, espera sofrida! E como não bastasse, juntou com a espera do retorno da 6a. temporada de DW… Life is a bitch: ê expressão acertada!

    Responder

  • Nat

    junho 9, 2011 #3 Author

    Acabei de terminar uma maratona Torchwood, na qual assisti às três primeiras temporadas em pouco mais de uma semana.

    Não achei a primeira temporada tão ruim quanto muitos a consideram. Claro, havia muitos problemas como um episódio inicial ruim, roteiros um pouco toscos, atores aparentemente não tão talentosos e, principalmente, um choque de realidade ao imaginar que Torchwood seria um spin-off fiel ao conceito Doctor Who.

    Mas… como estava com tão baixas expectativas, prossegui e, a certa altura, me peguei ansiando por mais episódios.

    Comecei então a segunda temporada e tudo melhorou: roteiros mais coesos, comecei a entender um pouco mais sobre quem é de fato o Capitão Jack (e sua condição de imortal) e até passei a gostar mais de Martha Jones!

    E no final, foi com grande angústia que me despedi de alguns personagens…

    E então veio a terceira temporada, em formato de mini-série. A mais sombria e realista de todas! De maneira geral, é a mais apreciada pelos fãs, mas me despertou sentimentos conflitantes: será que precisavam ir tão longe? Agora, parando para pensar… acho que sim.

    Confesso que estou muito ansiosa pela quarta temporada, mas, ao mesmo tempo, apreensiva. Pelos vídeos, o lado sombrio, os conflitos, a polêmica continuam lá. Mas será que tudo isso não se perderá em uma versão mais americanizada??

    Responder

  • Danielle Montenegro

    junho 9, 2011 #4 Author

    Intermitências, o Intermitências
    ainda acho que é uma excelente historia

    Responder

  • biancavani

    junho 9, 2011 #5 Author

    Nat, justamente por eles terem ido tão longe é que achei tão legal essa 3a. temp. Eles romperam com aquele padrão de sempre pouparem as criancinhas, “tipo”, para não chocar demais a sociedade que prefere continuar com seu sonho cor-de-rosa. Sobretudo nas séries americanas, quando tem uma criança sequestrada nós sempre sabemos que no fim ela será salva. Só abordam histórias de crianças assassinadas no passaado – porque a distância no tempo torna a coisa mais aceitável.
    Também gostei muito do dilemão do Cap. Jack: sacrificar o neto ou as milhares de crianças que seriam eternamente levadas pelos aliens viciados. Eu faria o mesmo que Jack. (se bem que não tenho nem filho, quanto mais neto, isto é, para mim parece mais fácil…)
    Também romperam com o paradigma de não matar os protagonistas – morreram quase todos da equipe. Foi legal não porque eles morreram, evidentemente, porque eu gostava muito deles, mas porque foi inesperado, fugiu ao modelito já desgastado, que não nos surpreende mais. A própria completa destruição da sede de Torchwood contribuiu para ficarmos totalmente atônitos…
    (é claro que isso aconteceu porque Russell já havia decidido, aliás fechado contrato, para tocar a série nos USA, então não era mesmo para ficar pedra sobre pedra…).

    Responder

  • petraberg

    junho 10, 2011 #6 Author

    É, encaremos a realidade: amanhã não tem mesmo episódio de DW. Mas tem podcast, não é?

    Responder

    • Matheus Carvalho

      junho 10, 2011 #7 Author

      Sim…Amanhã ou domingo, depende da disponibilidade do tempo do Rod pra editar…

      Responder

  • Nat

    junho 10, 2011 #8 Author

    Bianca,

    Sem dúvida, não ficou pedra sobre pedra! Pensando bem, talvez uma pedrinha tenha restado: o bebê da Gwen. Tinha quase certeza que ela iria perdê-lo de alguma forma.

    Provavelmente, diante de uma decisão impossível como a do Cap. Jack, eu também teria feito a mesma escolha, mas também não tenho filhos ou netos…

    E o Capitão Jack só encontrou consolo fora de Torchwood – no episódio final da era David Tennant em Doctor Who: Allons-y Allonso (risos)!

    Só tenho certo receio de que esta nova fase americana da série “contenha” um pouco os roteiristas.

    Responder

    • biancavani

      junho 10, 2011 #9 Author

      Eu também. “Tipo”, “As criancinhas inocentes tem de sair vivas, Russell!”
      Você já assistiu àquela série Episodes? Se não viu, dê uma olhadinha: é comédia, mas todos os nossos terrores em relação a séries britânicas em associação com os americanos são tratados lá. Algo como como, sendo Doctor Who produzido lá, até o nome da série muda. Adorei essa tal série.

      Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *