O que são Reconstruções? São versões alternativas e editadas de episódios perdidos. Estas versões podem vir de várias formas: desenho animado, slide de fotos...

Lata que continha o segundo episódio de The Evil of the Daleks, um dos arcos da série clássica com episódios perdidos.

O que são Reconstruções?

São versões alternativas e editadas de episódios perdidos. Estas versões podem vir de várias formas: desenho animado, slide de fotos do episódio com o áudio original por cima de tudo, apresentação de partes de vídeo sobreviventes com interlúdios narrados para falar o que acontece nas cenas perdidas, etc. Nem todas as reconstruções são feitas pela própria BBC.

Respostas a mais perguntas logo abaixo…

Peraí, episódios perdidos?

Na época do lançamento de Doctor Who, nos anos ’60, e ainda durante alguns anos seguintes, ninguém imaginava que aquela série estranha do alienígena na cabine telefônica faria sucesso a ponto dos fãs procurarem pelos episódios antigos depois deles serem exibidos na TV e a ideia de assistir vídeos em VHS em casa que não sejam de filmes de cinema ainda era muito estranha na época, sem falar que a TV ainda estava relativamente nos seus primórdios e ninguém achava que seria interessante guardar fitas e filmes simplesmente pelo seu valor histórico, fazendo com que muitas redes de TV (não só a BBC – e no caso dela, não só com Doctor Who) acabassem limpando os filmes para gravar outra coisa por cima.

Interessante, porém, é notar que Doctor Who, mesmo com vários episódios perdidos, é uma das séries da BBC da época mais bem-representadas no quesito episódios sobreviventes. Por exemplo, “United!”, uma novela da época que envolvia futebol (e também produzida pela BBC), com mais de 140 episódios, não possui nenhum episódio sobrevivente hoje em dia.  A sorte é que Doctor Who era exibido por emissoras de outros países, que diferentemente da BBC, ainda não possuíam tecnologia para usar do videotape, o que obrigava a conversão desse formato para películas de 16mm. Boa parte dos episódios encontrados foram recuperados graças a essas cópias. Esta história é retratada no documentário The Missing Years.

 

Cena da reconstrução de “The Invasion”, feita através de animação.

 

Como são feitas as reconstruções?

Como existem vários “modelos” diferentes de reconstrução, se torna impossível especificar como elas são feitas, pois varia muito. A maioria procura o áudio original (muitas vezes o áudio sobrevive) para manter consistência com o resto dos episódios.  Inclusive, muitos dos arcos que tiveram episódios perdidos são lançados em áudio, criando uma espécie de radio-novela.

Boa parte das reconstruções existentes são feitas utilizando fotos tiradas pelo fotógrafo John Cura, contratado pela BBC na época para tirar fotos das gravações dos episódios para fins publicitários, e também imagens montadas pelos próprios grupos, como por exemplo as cenas do cavalo de Troia no arco The Myth Makers, que foi reconstruída seguindo o roteiro. O grupo mais célebre de reconstruções é o Loose Canon, cujo trabalho pode ser visto na maior parte das reconstruções que já foram postadas aqui no site. O áudio das reconstruções é proveninente da gravação original do áudio do episódio ou de gravações caseiras feitas por quem assistia a série na época. A BBC também realiza reconstruções, mas nos mesmos moldes das adaptações para rádio, com narração e duração bem menor que os episódios originais.

Alguns casos interessantes ocorreram com episódios da terceira incarnação do Time Lord, interpretada por Jon Pertwee, onde episódios perdidos foram reencontrados mais tarde mas em preto e branco, resultando em um choque entre episódios em cores e episódios em preto e branco, há ainda episódios onde apenas parte dos filmes foi encontrada sem cores, fazendo com que o vídeo ficasse alternando no meio do episódio. Alguns desses filmes encontrados foram coloridos digitalmente mais tarde.

Já nos desenhos animados pela BBC, o estilo da animação é semelhante ao de Scream of the Shalka, desenho animado de 2003, exibido via internet, que contava com uma versão alternativa do 9º Doctor  que não faz parte da história oficial da série. O áudio das reconstruções, por sua vez, é retirado direto dos episódios originais.

 

Foram feitas reconstruções de todos os episódios perdidos?

Sim. Há até casos de episódios que foram reconstruídos e acabaram sendo encontrados depois, como aconteceu em 2011 com um episódio de The Underwater Menace e outro de Galaxy 4, ambos ainda a serem lançados.

Marco Polo, no arco de mesmo nome do primeiro Doctor, disponível apenas como reconstrução.

 

Quais episódios estão disponíveis apenas como reconstruções?

São muitos episódios para listar, a quantidade de episódios perdidos dos dois primeiros Doctors é muito grande. Mas, entre os arcos que só possuem episódios disponíveis como reconstruções, podemos citar “Marco Polo”, “The Myth Makers”, “The Invasion”, “The Macra Terror”, “Fury From The Deep”, entre outros.

  • Miguel

    fevereiro 8, 2013 #1 Author

    Agora me pintou uma curiosidade na Wikipédia tem o número total de episódio de doctor who, mas esses números podem estar errados ou eles contam o perdidos junto?

    Responder

    • Eddy

      fevereiro 8, 2013 #2 Author

      Você se refere ao número total que consta na tabela no topo desta página?
      http://en.wikipedia.org/wiki/Doctor_Who_episodes

      Se for isto (ou se o número for o mesmo dessa tabela), eles contam os episódios perdidos, sim.

      Responder

      • Miguel

        fevereiro 9, 2013 #3 Author

        Mais alguns e já serão 800 episódios =D

        Responder

    • Fernando

      fevereiro 8, 2013 #4 Author

      Apesar da Wikipédia fazer a contagem é importante frisar que a própria BBC nunca se pronunciou sobre o número oficial de episódios.

      Responder

  • Pedro Meccurdy

    fevereiro 8, 2013 #5 Author

    Preciso baixar mais eps da serie clássica e nunca tenho tempo

    Responder

  • Amanda

    abril 10, 2013 #6 Author

    Adorei! Bom saber que poderei assistir a série clássica com continuidade.

    Responder

  • Lucas RF Maester

    maio 28, 2013 #7 Author

    Essa prática de regravação por cima era muito comum aqui no Brasil, por isso temos muito pouco material dos primórdios da TV Brasileira (e o que poderia ter, muito foi destruído nos milhares de incêndios “misteriosos” em quase todas as emissoras na época da ditadura), como novelas, séries, musicais e etc.
    O vídeoteipe revolucionou a televisão, mas achava que na Inglaterra essa tecnologia existisse desde muito antes desse período… Isso meio que me cheira “faxina”, mas enfim…
    Ainda que esses perdidos se explicam, enquanto os perdidos de Chaves continuam a maior incógnita da televisão mundial…

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *