Matt Smith e Moffat. O roteirista e produtor Steven Moffat se especializou em dar vida nova a coisas antigas, personagens familiares e histórias. Sua...

Matt Smith e Moffat.

O roteirista e produtor Steven Moffat se especializou em dar vida nova a coisas antigas, personagens familiares e histórias. Sua mágica primeiro funcionou em Doctor Who (na 5ª, 6ª e agora na 7ª temporada), com a série ganhando vários BAFTA e Hugo Awards.

Recentemente, sua criatividade voltou-se para um dos maiores detetives do mundo, Sherlock Holmes. Como o co-criador da aclamada série da BBC, Sherlock, Moffat é o responsável por deixar as criações de Sir Arthur Conan Doyle voltadas para os dias atuais.

Em uma entrevista para a npr, Moffat falou sobre Sherlock e um pouco sobre Doctor Who. No site também há o áudio da entrevista, caso alguém se interesse.

Como somos o Universo Who (apesar de amarmos Sherlock, pelo menos eu :D), colocarei aqui só a parte que ele fala sobre Doctor Who:

“Tudo o mais a respeito de um seriado, tirando o elenco – não importa se é grande ou admirável ou excelente –  só pode ser admirado. As pessoas não se relacionam com grandes roteiristas ou uma grandes produções ou um diretor de arte ou um diretor. Elas somente os admiram. As pessoas se apaixonam, curiosamente, por outras pessoas. A diferença entre um fracasso bem feito e um sucesso muito bem feito é em quem você escolherá para interpretar os personagens. Isso é sério. Uma nação se apaixonará por aquelas pessoas e vai querer vê-las semana após semana? E tomar essa decisão é complicado. Mas é fácil se você tem um ótimo diretor de elenco. … No caso do Matt Smith como O Doctor, eu estava convencido que queria um Doctor mais velho – nos seus 40 anos. Não desejava ter um Doctor jovem sob meu comando. E no primeiro dia – ele era o terceiro da fila. Seu teste foi tão perfeito, qualquer idiota o teria escalado. Foi muito fácil. E me lembro de perguntar, ‘Quantos anos ele tem?’ Ele tinha 26 anos e instantaneamente virou o Doctor perfeito porque ele tem aquela combinação de homem idoso e de um jovem. Ele parece um jovem reunido com um homem idoso de memória.”

INFÂNCIA

“Sou um geek. Sou um escritor. Passei toda minha infância obcecado por Doctor Who e Sherlock Holmes. Eu era sozinho, era um estranho – o quê você espera? Eu era o garoto que sofria bullying e sentava no fundo da sala chorando por causa da solidão. Eu não acho, generalizando a coisa, que as pessoas tornam-se escritores por serem os melhores, mais legais, e mais cativantes da turma. Serei honesto. Essa é nossa revanche das pessoas que são mais bonitas e mais populares que nós. Eu era um pouco assim, eu acho.”

Fonte

Jéssica Laíse

Uma guria viciada em seriados, esportes e música. Nasci em 23/11/1991, coincidência? Moro no interior de São Paulo, mas vivo sonhando com as terras do pampa gaúcho.

  • luiza

    maio 10, 2012 #1 Author

    foi o russell que trouxe de volta dw.

    Responder

  • Jéssica Laíse

    maio 10, 2012 #2 Author

    Hun, to sabendo… só traduzi o título da reportagem do site ingles, mas se quiser eu mudo.

    Responder

  • lauren

    maio 10, 2012 #3 Author

    ~o homem que revitalizou ‘doctor who’~ menos neah… moff gênio, fodástico, mas se fosse pra falar isso d alguém seria rtd

    Responder

  • Jéssica Laíse

    maio 10, 2012 #4 Author

    Pronto, título mudado para não criar encrenca.

    Responder

  • Renato Augusto Ritto (@renato_rar)

    maio 10, 2012 #5 Author

    Eu sou meio suspeito pra falar porque gostava muito mais da série antes da 5ª temporada, quando Tennant ainda era o Doctor e quando a TARDIS ainda era toda desorganizada e os episódios, pra mim, eram mais engraçados e faziam com a gente um tipo de link, nos fazia ficar PRESOS à história e tudo o mais. Russell T. Davies RULEAVA DEMAIS.

    Portanto, não gosto do Moffat. Não gostei do jeito como ele mudou tudo da 5ª temporada em diante, não gostei do desprezo que ele teve para com todas as coisas anteriores a ele no seriado. Achei que foi muito “MY RULES NOW”, sabe… achei meio insolente. Além do quê, nem preciso dizer do quanto a série se “americanizou” quando Moffat virou roteirista principal.

    Por mais que eu goste bastante do Matt Smith como Doctor, acho que Moffat não precisava ter virado o roteirista principal da série. Só a ideia de tudo o que ele tem para mudar a série me assustam.

    E tem só mais UMA coisa que me deixa irritado com o Moffat: A IMPORTÂNCIA QUE ELE DÁ PRA RIVERSONG. Isso me irrita muito. É isso HAHAHAHAHA

    Responder

  • Luíza Czarnobai

    maio 10, 2012 #6 Author

    Renato, amigo. Doctor Who é uma série de quase 50 anos, totalizando 11 Doctors, 32 temporadas e MUITOS, MUITOS roteiristas e companions. Frequentemente, nesses 50 anos de série, as coisas mudam. Os Doctors mudam. As companions mudam. Os roteiristas mudam. Os produtores mudam. ___TUDO___ muda. Você vê o 10th falando da Susan? Ou da Romana? Ou da Grace? Ou do Jamie? Não. Obviamente não. Do mesmo jeito que você não vê o 11th falando de todas as outras companions e etc.
    ISSO é Doctor Who, Renato. Sinto lhe dizer, mas Doctor Who é _mudança_. Vai mudar o tempo inteiro, sempre, e companions vão ser esquecidas, e outras vão aparecer e tomar o lugar das atuais e etc. Isso é Doctor Who e, me desculpe, se você não gosta disso, desiste da série e vá assistir outras coisas.

    Responder

  • Renato Augusto Ritto (@renato_rar)

    maio 10, 2012 #7 Author

    Luiza, querida. Eu sei que Doctor Who é uma série de quase 50 anos e já vi alguns dos episódios clássicos, além de toda a série nova. Apenas critico o fato de que os episódios do Moffat simplesmente não são tão legais como o do Russell T. Davies e nem tem personagens tão envolventes e “familiares” como o ar e o ambiente das outras temporadas.

    Em nenhum momento disse que não gostava das companions, sendo elas novas ou antigas. O modo de ser do Doctor mudou na 5ª temporada nova, e isso ninguém pode negar. Mudou bastante.

    Portanto, o que critico é o fato de ele querer mudar tudo e americanizar a série. E não, obrigado. Eu gosto muito de Doctor Who para “desistir da série e ir assistir outras coisas”.

    Sem mais.

    Responder

  • Tiago

    maio 10, 2012 #8 Author

    Eu posso não ter gostado da 6ª temporada, mas gostei da 5ª temporada, gostava de quando o Moffat só escrevia, e os episódios deles nas 4 primeiras temporadas eram ótimos, só acho que agora ele deixou um pouco a desejar.

    Bem, falar que desde que o Moffat assumiu a série, ele ignorou tudo o que tinha acontecido antes, eu acho que primeiro ele não ignorou, a referências de coisas anteriores durante essas duas temporadas, só não é constante, mas tem lá o Doutor falando de quando os Daleks sequestrou a Terra no fim da 4ª Temporada, teve uma cena cortada de um episódio da 5ª Temporada que a Amy vê um vídeo com todas as companions anteriores, aparece uma duas vezes a imagem do 1º Doutor, e uma do 2º Doutor, teve episódios com o Doutor dizendo que usava um guarda-chuva, tudo isso na quinta e sexta temporadas, e acho que não é necessário o Doutor ficar todo episódio falando da Rose, Martha, Donna e etc. só se a história exigir que lembre desse momentos, como aconteceu na 6ª Temporada que o Doutor diz sentir culpa pelo que aconteceu as 3.

    Responder

  • Eddy

    maio 10, 2012 #9 Author

    O fato é que o Russel foi o que mais unia coisas anteriores a coisas novas (as aparições de todos os companions no season finale da quarta temporada que não me deixa mentir), o Moffat só voltou ao jeito antigo de fazer a série, cada episódio de sua vez, pensando mais no futuro do que no passado (fazendo algumas homenagens ao passado esporadicamente). A série clássica sempre foi assim, agora é a vez da série moderna seguir esse caminho também.

    Responder

  • Jéssica Laíse

    maio 11, 2012 #10 Author

    Alguém leu o post antes de sair espalhando ~amor~ nos comentários? Ou só vieram aqui por causa do primeiro título?? Né por nada não, alguém desviou e muito do assunto do post.

    Responder

  • diego leal

    maio 11, 2012 #11 Author

    eu gosto do que o moffat vem fazendo nesses ultimos anos,menos o final da sexta temporada,mas para mim se pode considerar cada episodio como unico,não se pode negar que o cara criou varias coisas fantasticas,como o silence e tantos outros(não tenho certeza se foi ele que criou os anjos choroes,ele é um mega fã da serie ele a ajudou a ficar muito mais conhecida,quem sabe evitando que ficassemos varios anos sem ela como ja aconteceu,doctor who é algo praticamnete infinito,quase todas ideias podem ser usadas nessa serie e o moffat aproveita e muito essas liberdades,como ele ja deve ter percebido a muito tempo é muito bom fazer algo que se gosta e como ja percebi é bom quando se faz isso maravilhosamente.

    Responder

  • Lucas Marques

    maio 11, 2012 #12 Author

    Ae quer saber eu vou contar para vocês! Amei a série nono e decimo doctor mais Moffat fez a coisa dar uma virada que deu novos ares ao DW. Tirou ele sempre de inglaterra e Inglaterra! E era disso que a série precisava e agora eu quero mais e mais… Amei Donna e daria td para ver ela de novo mais puts nem quero pensar de ver a Martha Jones ou seu marido sem graça de novo! Acho que o melhor da Era Moffat foi isso, tirar alguns personagens e inserir novos, como a irmã do Doctor e também sogra (Amy) o cara que tem ciumes do irmão da namorada (Rory) e a mulher que ama por ser complicado demais a relação deles!!! (River Song)

    Responder

  • Slec_Welb

    maio 12, 2012 #13 Author

    Apesar de amar a era RTD, o nono, o décimo (O doutor super emocional), a Rose, Martha, Mickey, Jack, Donna, Will e todos os outros, Moffat passa algo que RTD não passa, que é o passado da série.

    Claro que RTD deu citações, trouxe de volta a minha amada Sarah Jane, Davros,os Daleks,o mestre mas na maioria das vezes é uma bolha conhecida como a era RTD. Foi bom, foi otimo na verdade foi fantastic, e sempre vai ser.

    Já Moffat fez uma volta ao passado. Matt Smith é tão maravilhoso porque ele é tão novo, mas quando você olha nos olhos dele você vê em um momento o primeiro doutor, em outros o segundo, o terceiro e assim por diante. Ele passa que é o mesmo homem, e um timelord de 900, algo que é maravilhoso de se vê. A própria personalidade dele é uma volta a série antiga, o que faz dos 3 novos ele ser o meu favorito.

    A quinta temporada é linda, divertida, misteriosa, emocionante e com um grande final. A sexta o Moffat cometeu alguns erros (muita River – Que eu gosto mas não tanto – , episódios com poucas aventuras, e falta de algumas conversas entre personagens) mas já estava arrumando no final da temporada, e parece que vai arrumar mais ainda na setima. Moffat cometeu um erro porque arriscou, tentou sair do comum e procurar algo novo, e foi esse espírito que fez DW durar até hoje, pq quando William Hartnell ia sair, se os roteiristas não tivessem ousado a série tinha terminado ali.

    Responder

  • janine

    maio 14, 2012 #14 Author

    Moffat sofria bullying, nem era preciso ler a entrevista pra saber isso. Ele tem a maior cara de ter sido um nerdão excluido da sala de aula. Rsrsrsrsrs É por isso que eu adoro o trabalho que ele faz, seja com DW ou com SH.

    Responder

  • Ana

    junho 11, 2012 #15 Author

    Ih, acabei postando o rascunho do comentario e dá-lhe erros. Sorry, deletem o anterior.

    Concordo inteiramente com os comentarios do Renato Ritto, Moffat apagou as temporadas anteriores no momento em que tudo que se passou nas temps 1, 2, 3,4 não aconteceram e qdo o novo Big Bang deletou tudo. Foi como se ele dissesse “esqueçam o que assistiram até hoje, eu que mando nessa bodega agora!” Moffat é um roteirista excepcional, mas um showrunner sofrível.
    Suas temporadas são longas, desiguais e sim, mto americanizadas, com cliffhangers à lá Lost que demoram uma viagem no tempo para serem concluidos.
    O excesso de importancia dado tanto à River Song qto aos Ponds foi uma cansativo e nem personagens tão bons assim são (Rory e sua eterna cara entediada, pois sempre esteve ali para agradar Amy) formaram os companions mais chatos e desfuncionais ever.
    Doctor Who é mudança, mas dessa vez foi pra pior, IMO.
    Não vejo a hora de mudar tudo de novo!

    Responder

  • Bruna Alencar

    junho 19, 2012 #16 Author

    bom eu gostava mas quando tennant fazia o doutor sabe tinha vinha o jeito que se vestia e que fazia a as coisas agora com o Matt ficou estranho parece que as coisas ficaram sem nexo de repente e que nada mas é o mesmo então achei que as coisas tomaram rumos diferentes gostava de antes porque tinha que mudar de personalidade o décimo doutor tinha atitude se vestia bem legal agora o décimo primeiro parece um velho se não é se veste igual desde quando gravatas borboletas são legais nunca mzas to tentando gostar de novo pois sinto que não é o mesmo !

    Responder

  • Elias

    junho 21, 2012 #17 Author

    Fiquei muito triste quando o David saiu. Por isso nao gostava do Matt. Mas só assisti uns 5 episodios e comecei a gostar do Matt tbm. Mas fico esperando pra ver o q eles vao fazer daki uns tempos, pois o Doutor só pode se regenerar 13 vezes, e ele já se regenerou 10, daki a poko 11. Eles tem q começar logo a pensar em um jeito de continuar a serie. E tbm podiam trazer de volta o David Tennant. O Moffat é muito inteligente, por isso pode satisfazer a todos nós. Nao sei pq muitos de vcs nao gostam dele, e ele americanizou doctor who, pelo contrario, tirou ele varias vezes de londres, e nao deixou cm jeito de americano, deixou cm um jeito novo.

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *