Muito antes do Doutor virar o xerife de Mercy, ele vistou em sua primeira encarnação uma cidade no interior dos Estados Unidos no fim... REVIEW CLÁSSICA: Arco 025 – The Gunfighters

p00v2x2q

Muito antes do Doutor virar o xerife de Mercy, ele vistou em sua primeira encarnação uma cidade no interior dos Estados Unidos no fim do século 19 no que conhecemos hoje como o velho oeste. A temática por si só já encanta, afinal de contas quem não gosta de ver uma boa história de cowboys do velho oeste e suas disputas armadas? Junta isso aquele clima nostálgico em preto e branco que os clássicos filmes de velho oeste tem e temos um arco tão prazeroso de ser assistido, que sempre que posso faço questão de rever. E ele está inteirinho, sem um pedaço de recon.

The Gunfighters como o próprio nome já diz é uma história de pistoleiros. Temos o grupo de bandidos que entra no bar e todos se calam? Temos! Temos o xerife? Temos! Temos o procurado? Temos! Temos a moça do bar? Temos! E o melhor de tudo, é um arco baseado em uma história real, já tendo sido retratada antes de Doctor Who em filmes como My Darling Clementine e Gunfight at the O.K. Corral. Então tá aí uma boa pedida para assistir após o arco.

O Doutor, Dodo e Steven chegam em uma Tombstone que vive momentos de tensão provocados pela rixa entre os irmãos Clanton e Doc Holliday, um dentista local, devido a morte de um dos Clanton. A interferência do Doutor no evento histórico começa quando ele, que chega a cidade se queixando de dor de dente, se encontra com Doc Holliday para uma consulta. A partir de então o Doutor passa a ser confundido propositalmente com o bandido e então perseguido pelos Clanton. Os três então se separam. O Doutor é preso para evitar que os irmãos o matem, Dodo acaba ficando a mercê de Holliday e sua amante Katie que resolvem levar a menina junto em sua fuga (Pra que gente? Dodo é tão boring!), enquanto Steven permanece na cidade para tentar livrar o Doutor da prisão.

Steven e Dodo guardam muitas semelhanças com seus predecessores na TARDIS. Enquanto Steven fica com o papel do herói desbravador, papel desempenhado por Ian nos primeiros arcos, enquanto que Dodo ocupa muito mais o lugar de Susan do que de companions mais fortes como Barbara. E isso não é necessariamente um problema, apesar de que isso influencia bastante na identificação do público com os companions em si. O lugar deixado por Steve e Dodo posteriormente na temporada é ocupado por mais um casal de companions, porém com um perfil completamente oposto. Mas deixamos essa discussão para o arco The War Machines.

Os quatro episódios do arco mantém um ritmo interessante e mais dinâmico para um arco histórico, e é um episódio tão peculiar que por vezes em transições de cena temos estrofes da canção The Ballad of the Last Chance Saloon. E por ser um arco com uma pegada western podemos esperar algumas mortes no decorrer da história (sem sangue obviamente rs), mas nada que não estejamos acostumados. Entretanto, apesar de ser um arco bom e divertido de se acompanhar, ele peca no desfecho corrido e confuso já que precisa apresentar o tão famoso tiroteio de O.K. Corral e a fuga dos protagonistas para a TARDIS.

E vocês, o que acharam de The Gunfighters? Não viu ainda? Podem já corrigir esse erro e baixar o arco aqui e deixar sua opinião!

Vinícius Viana

Farmacêutico, 26 anos, professor, aspirante a Doutor e completamente viciado numa tal série de um cara louco que viaja no tempo numa cabine de polícia azul.

  • Flávia Dagostim Minatto

    março 25, 2017 #1 Author

    The Gunfighters é divertido, com todo aquele musical da Dodo e do Steven, é interessante, tem uma dinâmica boa. Muito bom de se assistir!

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *