Esse ano, Torchwood não irá apenas mudar de endereço, de Cardiff no País de Gales, para os EUA graças a um acordo entre Starz...

Esse ano, Torchwood não irá apenas mudar de endereço, de Cardiff no País de Gales, para os EUA graças a um acordo entre Starz e a BBC Worldwide, mas de acordo com um dos protagonistas da série, John Barrowman, os valores da produção estão maiores do que nunca e a série só fica maior.

“Há muito mais que se pode fazer com Torchwood, agora que viemos pros Eua. Será ainda maior e melhor…as cenas estão mais perigosas e a química sexual é mais explosiva…O trabalho com cenas de ação é inacreditável. Eu costumava fazer várias cenas de ação, com exceção de quando precisava pular de prédios, mas agora não posso fazer nada por causa da política do seguro. Eu estou valendo muito mais aqui!”

Com um tom mais americano na forma de contar a história, Torchwood introduzirá personagens americanos. Mekhi Phifer interpretará o agente da CIA Rex Matheson e Bill Pullman está no papel de um assassino diabólico. Ernie Hudson, conhecido pelo seu papel em “Ghostbusters” também fará uma participação, assim como a estrela de “Dollhouse”, Dichen Lachman.

De qualquer forma, com o programa sendo produzido nos Eua, uma das principais perguntas vem sendo: O quanto o programa será atenuado? Nas últimas três temporadas, Torchwood estabeleceu uma ficção científica adulta que se completava com histórias chocantes, e temas sexuais com diferentes orientações.

Será que será atenuada pelo canal Starz? De acordo com Barrowman, não.

“Jack terá um pouco de diversão e o público vai ter exatamente o que quer E eu me divirto muito fazendo tudo isso!”

Torchwood estréia em 8 de julho no Starz. Mas ainda sem uma data confirmada pela BBC.

 

Fonte: Airlock Alpha

Universo Who

Publicações feitas por colaboradores que em algum momento fizeram parte da história deste site desde 2009, mas que não mais fazem parte do projeto.

  • Bianca Cavani

    abril 9, 2011 #1 Author

    Tô botando muita fé. Meu único problema em relação a Torchwood é o tempo que falta para começar, ôo tortura.

    Responder

  • Isabele

    abril 9, 2011 #2 Author

    Tomara que seja verdade.
    É esperar pra ver.

    Responder

  • Mica

    abril 10, 2011 #3 Author

    Eu adoro Torchwood, mas confesso que morro de medo desta americanização da série.

    Responder

  • petraberg

    abril 10, 2011 #4 Author

    Um dos pontos mais diferenciados e notáveis de Torchwood é a personalidade do Capitão Jack: os produtores americanos, quando se interessaram em se tornar parceiros da série, não iriam querer mudar justamente a personalidade dele. Isso me parece lógico. Ademais, os americanos fazem muita série com o tema da diversidade sexual, nos quais gays aparecem como protagonistas (e não para fazer graça, como nas novelas brasileiras – Six Feet Under, Will and Grace, a própria refilmagem de uma série do Russell, Queer as folk e muitas outras. Os americanos são menos conservadores neste tema que os brasileiros, gente. Digo isso não como um elogio ou como uma crítica – apenas como uma constatação da realidade.

    O que receio em relação à parceria é se a história não será muito simplificada, pois os americanos costumam fazer isso para atingir grande audiência, em todas as camadas da sociedade. “Tipo”, o Cap. Jack sacrificar o neto acho que em uma versão americana seria limado. Mas em relação a homossexualismo, por exemplo, os americanos (depois dos britânicos) são os pioneiros em criar leis que dão direitos legais ao grupo gay.

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *