Depois de uma longa espera, de um tempão de petições e rezas, hoje foi o dia de… Doctor Who na TV Cultura. Acho que...

Depois de uma longa espera, de um tempão de petições e rezas, hoje foi o dia de… Doctor Who na TV Cultura. Acho que a euforia era generalizada, todos os whovians desenharam uma Tardis na agenda, pegaram sua almofadinha de Adipose e foram para frente da tv para ver o primeiro episódio de Doctor Who, exibido em terras tupiniquins.

Ver o Christopher Eccleston na tela nacional revela um sentimento de orgulho e satisfação por todos os amantes da série. Porque, querendo ou não, era um tanto utópica a ideia de ver nosso Doctor na televisão de nossas casas, em português, dividindo com toda a família as aventuras do nosso querido!

Começando do começo-novo, a Cultura exibe a série nova de Doctor Who, ou seja, todos os episódios a partir do 9º Doctor. O episódio dessa segunda-feira foi o Rose, que conta o primeiro encontro do Doutor com uma de suas mais adoradas companheiras, Rose Tyler. Nesse episódio, manequins de plástico ganham vida, atacando o planeta e transformando Mickey, o namorado da moça, em plástico.

Esse episódio é extremamente curioso porque os efeitos especiais são tão precários, que chegam a ser engraçados. É claro, que isso não descredibiliza, de maneira alguma, a série. Foi isso que mais prestei atenção durante a exibição. As últimas temporadas, com o Matt, tiveram efeitos especiais muito bons, e nem por isso deixo de adorar os efeitos da lixeira engolindo o Mickey, por exemplo, da primeira temporada-nova.

O que me irritou um pouco, foi a dublagem e os intervalos. Não tenho uma opinião formada, se ela é péssima mesmo, ou se é porque estamos acostumados com os episódios no audio original. Tudo indica que até o começo da semana que vem, nossos ouvidos se acostumarão. Já sobre os intervalos, o problema não é tão grande, porque a Cultura não é um canal com muitos patrocinadores. Assim, ainda com alguns intervalos, eles não duram horas.

Nosso sonho se realizou, whovians. Podem pular, cantar, construir uma Tardis, o que quiserem! Temos Doctor Who, de segunda a sexta, a partir das 8:20, na TV Cultura!

O episódio de amanhã é The End of the World ou O Fim do Mundo, em que Rose é levada em sua primeira viagem, ao ano 5 bilhões. Lá, o Sol está prestes a se expandir e engolir a Terra.

 

O que vocês acharam? Deixem um comentário contando! (obs: sou nova no blog, então… Olá para todos e Allons-y!)

Giovanna

  • Jaqueline

    março 19, 2012 #1 Author

    Foi puro deleite, sentar à frente do computador (na minha cidade não tem TV Cultura) e acompanhar online com a família. Um sonho que parecia impossível foi realizado. Acabou a frustração do People&Arts (atualmente Liv) ter passado só 3 temporadas mais 1 de Torchwood. Eu divulguei o máximo que pude, no http://blog.vejoseries.com/ e no http://www.plantaonerd.com/blog/ e hoje fiquei feliz da vida ao ver a reação no Twitter logo depois da exibição.

    Fantástico!

    E que venham os DVDs! =)

    Responder

    • Gigi

      março 19, 2012 #2 Author

      Que venha!!! Estamos esperando ansiosos!

      Responder

  • Gléce Jatobá

    março 20, 2012 #3 Author

    Estou de plantão e pensei que não conseguiria assistir a estréia. Com minha mais nova camiseta do Doctor, sentei-me a frente da TV de 14 polegadas aqui do trabalho e tive uma grata surpresa. Não foi tão doído assistir o Doutor falando português. O mais importante é que todos agora têm acesso a nossa querida série. Fantástico!

    Responder

  • Laís

    março 20, 2012 #4 Author

    Sabe que uma das coisas que mais me empolguei foram os comerciais? Quando entrou aqueles anúncios, pensei: “minha série querida tá em horário nobre no meu país”.
    Não achei a dublagem ruim nem um pouco. O som das vozes dos dubladores não estava destoando do resto dos sons (é horrível quando uma fica bem mais alta quava outra, por exemplo).
    No mais, motivo de alegria pra nós whovians. Foi fantástico!

    Responder

  • Anna

    março 20, 2012 #5 Author

    Primeiro: escuta, você estava na minha casa? Eu tenho uma almofadinha de Adipose (eu que fiz, inclusive…!) e, sim, estava com ela ontem. 😛

    Segundo: a dublagem ficou muito boa. OK, eu estranhei o “pitch” do Doutor, mas é que a voz do C. Ecclestone é dureza de imitar. Tenho pena de quem for dublar o Doutor do D. Tennant, vai sofrer um bocado.

    Terceiro: três vivas para a iniciativa da TV Cultura! 😀

    Responder

  • Adriel Curci

    março 20, 2012 #6 Author

    Não achei a dublagem ruim, até ficou boa.
    Existe séries muito mais renomadas que passa na globo, tipo Glee, White Collar, que a dublaglem é uma merda.

    Responder

  • Tiago

    março 20, 2012 #7 Author

    Seja Bem Vinda Gigi.

    A Dublagem não chega a ser péssima, mas também não é das melhores que tem por ai, no começo é estranho ouvir dublado, por ter visto só com o áudio original, mas depois de ver várias vezes dublado, acaba se acostumando com a dublagem e não estranha mais.

    E o intervalo comercial, não chega atrapalhar muito, por não ser muito longo, mas também é uma questão de se acostumar, já que a BBC não exibe intervalos durante a exibição da série, estamos acostumado a ver direto sem pausas.

    Vão comentar todos os episódios da série, ou foi só esse primeiro?

    Responder

  • Airton Granero

    março 23, 2012 #8 Author

    Adorei, porque agora meu filho de 5 anos pode entender tudo. Antes ele me fazia traduzir e tapava os olhos quando os Weeping Angels ou outros apareciam.

    Mas achei a tradução precisa mas a dublagem apenas formal. A “catch frase” do Cristopher Eccleston era “Fantastic!!” e dito de uma maneoira efusiva, quase louca e ficou apenas “fantástico” com o ânimo de quem está vendo um informercial das meias Vivarina as 3 da manhã.

    Responder

  • Felipe

    abril 1, 2012 #9 Author

    “Esse episódio é extremamente curioso porque os efeitos especiais são tão precários, que chegam a ser engraçados. É claro, que isso não descredibiliza, de maneira alguma, a série.”

    Mas essa exatamente que era a graça de Doctor Who quando a série foi criada ! Com tão pouco conseguiam fazer tanto ! A televisão britânica na época era um show de improviso e baixo orçamento. Monty Python’s Flying Circus, por exemplo, também era famoso por seu baixo orçamento e produção barata. Queria ver Doctor Who voltar um pouco as origens.

    Responder

  • Arucado

    junho 4, 2012 #10 Author

    Não gostei da versão dublada de Doctor Who, a dublagem não passa a mesma emoção, principalmente a do Doutor (No Beeeautiful)

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *