Saíram as indicações para o Hugo Awards desse ano e pela primeira vez desde de o reboot em 2005, “Doctor Who” não foi indicado...

Saíram as indicações para o Hugo Awards desse ano e pela primeira vez desde de o reboot em 2005, “Doctor Who” não foi indicado com um roteiro de Steven Moffat, por que ele não escreveu nenhum, mas ainda assim, no ano de especiais, conseguiu três indicações:

Melhor apresentação dramática, forma curta

– Doctor Who: “The Next Doctor”  Escrito por Russell T Davies; Dirigido por Andy Goddard (BBC Wales)
– Doctor Who: “Planet of the Dead” Escrito por Russell T Davies & Gareth Roberts; Dirigido por James Strong (BBC Wales)
– Doctor Who: “The Waters of Mars” Escrito por Russell T Davies & Phil Ford; Dirigido por Graeme Harper (BBC Wales)
– Dollhouse: “Epitaph 1″ História por Joss Whedon; Escrito por Maurissa Tancharoen & Jed Whedon; Dirigido por David Solomon (Mutant Enemy)
– FlashForward: “No More Good Days” Escrito por  Brannon Braga & David S. Goyer; Dirigido por David S. Goyer; baseado no livro de Robert J. Sawyer (ABC)

 

A polêmica que surgiu entre os fãs é a ausência de Torchwood e da aclamada minisérie “Children of Earth”, principalmente quando há a inclusão de “Planet of the Dead”, por muitos considerado o pior especial.

Dos indicados em Doctor Who (digo assim por que provavelmente Joss Whedon ganha de novo esse ano), “Waters of Mars” seria meu favorito, e para colocar “Planet of the Dead” em perspectiva basta dizer que em termos de qualidade ele não é comparável ao especial de páscoa desse ano, “The Eleventh Hour”.  E, para mim, é uma pena a melhor temporada de Torchwood ter sido ignorada.

Mas o que vocês acham?

Tudo graças ao io9

Universo Who

Publicações feitas por colaboradores que em algum momento fizeram parte da história deste site desde 2009, mas que não mais fazem parte do projeto.

  • Time Lady

    abril 10, 2010 #1 Author

    Realmente, Debora, concordo com você. Acredito que Torchwood tinha que estar nesta lista também, assisti aos 5 episódios num dia, não conseguia parar.

    Children of earth foi muito bem escrita e os atores estão impecáveis.

    FlashForward eu tentei assistir uma vez e não consegui, então não posso comentar muito… e o episódio de Dollhouse nem foi ao ar.

    De Doctor Who, meu favorito ali é Waters of Mars tb.

    Responder

  • Harry

    abril 10, 2010 #2 Author

    Não sei se Children of the Earth concorreria nesta categoria, já que é em 3 partes. Já Planet of the Dead é uma história fechada. Mas com certeza Children of the Earth merecia indicação em algum aspecto.

    Responder

  • Mari

    abril 10, 2010 #3 Author

    Por que Dollhouse ganharia? Não que eu tenha visto a série, mas Waters of Mars é muito bom e Doctor Who é muito mais relevante pra Ficção Científica do que Dollhouse….
    Quanto a Torchwood, realmente não tem como indicar para qualquer coisa em “forma curta” já que os seis episódios contam uma só história o que deve dar umas 5h e não faria sentido indicar um só. Não sei se isso pesou na cabeça do povo que votou, mas pra mim a indicação seria nonsense…

    Responder

    • deborasouza

      abril 13, 2010 #4 Author

      “Dollhouse”, além de ter um episódio muito bom indicado, tem o fator Joss Whedon. O cara é idolatrado nos campos de fantasia por Buffy/Angel e em sci-fi por Firefly/Serenity, que é a série da vida de muita gente e que foi cancelada anes do seu tempo. “Epitaph one” só por ser de uma série do Joss Whedon cancelada prematuramente já seria um forte candidato. E nao podemos esquecer que a única perda nos Hugos de um episódio de Steven Moffat de Doctor Who, foi no ano passado quando “Dr. Horrible”, de Joss Whedon, ganhou de “Silence in the Library/Forest of the Dead”.
      Quanto a continuidade, concordo que seria difícil escolher um episódio só representando a temporada, mas tudo vai da consistencia (ou falta de) nos critérios para a indicacao, por que acho muito difícil entender “Epitaph One” sem acompanhar a série também.

      Responder

  • Marcelo

    abril 10, 2010 #5 Author

    Dollhouse foi uma série média, mas o episódio que concorre é bom (talvez o melhor da série) e uma das melhores coisas escritas pelo Joss Whedon

    The Next Doctor é bom, mas não está no mesmo nível de “Epitaph 1″ e de “The Waters of Mars”, estes 2 disputam cabeça a cabeça, na verdade é uma disputa entre o Russell T Davies e o Joss Whedon, vai ser uma disputa entre 2 bons escritores do gênero, quem ganhar merece o prêmio

    Já FlashForward é só uma boa ideia com um péssimo desenvolvimento nem sei porque foi indicado, “Planet of the Dead” é um episódio sem nada de especial em que para mim a melhor coisa é a Michelle Ryan

    Responder

  • Breno Costa

    abril 10, 2010 #6 Author

    Gostei dos especiais, mas acho que nenhuma esses merece o Hugo. Flashforward eu descarto, ela está ai por pena, imagino. Dollhouse devia levar, porque foi uma série que tem uma premissa interessante, mas que foi desenvolvida muito lentamente. Prêmio para a posteridade! 😀

    Responder

  • Fox

    abril 10, 2010 #7 Author

    Triste torchwood não ter sido indicado, afinal quem consegui dormir depois de ver children of the day three tem coração de pedra. Flashforward nem deveria estar ai, no lugar dele até Fringe mereceria mais. E quanto aos especiais de doctor who isso é muito pessoal, eu mesmo preferi “Planet of the dead” ao “Waters of mars”

    Responder

  • Lucas

    abril 11, 2010 #8 Author

    Concordo com o (a?) Fox, achei Planet of the Dead bem mais emocionante que Waters of Mars. Mas Epitaph One deve ganhar, até porque Dollhouse foi cancelada, e essas premiações tendem a se transformar em “um pedido de desculpas” para o público fiel do Joss Whedon quando as séries dele sofrem cancelamento.

    O fato de nenhum dos episódios de Children of Earth se sustentar sozinho sem dúvidas pesou na decisão. Eles não poderiam indicar a temporada inteira e não indicariam um episódio sem conclusão, como o primeiro, por exemplo. Também há a questão do casal homossexual na série, que vai um pouco contra a mania hipócrita de tradição e bons costumes dos ingleses.

    Responder

  • Bianca Cavani

    abril 12, 2010 #9 Author

    Lucas, pelo contrário, a Inglaterra é um dos países onde o homossexualismo é mais aceito, até por leis. Há pouco tempo, inclusive, o governo britânico pediu desculpas (in memorian, lógico) ao matemático Alan Turing (que decifrou os códigos alemães, na segunda guerra, o que foi fundamental para a vitória dos Aliados), um homossexual que terminou por se suicidar, provavelmente em razão do tratamento que os dessa orientação social tinham naquela época. Não só na questão da homossexualidade, mas também a Inglaterra é um dos lugares onde o ateísmo é mais difundido pela media, com destacados miliantes dessa questão. Também há algum tempo, na Inglaterra ônibus circulavam com a seguinte propaganda (posta pelo, digamos, movimento ateísta): “Deus não existe mesmo, então aproveite a sua vida”.
    Já em relação ao Brasil, temos a falsa impressão de um povo muito liberado, mas essas questões às quais me referi acima, em plena discussão na Inglaterra, USA, Alemanha, está apenas principiando por aqui.

    => quanto ao assunto principal, a-do-rei Planet of dead e Waters of Mars. Qualquer um que ganhar, para mim foi muito bem merecido.

    Responder

  • Bianca Cavani

    abril 12, 2010 #10 Author

    digo, orientação sexual.

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *