Richard Curtis (roterista de “Vincent and the Doctor”), Steven Moffat (produtor executivo) e Neil Gaiman, escondendo o titulo do seu episódio. Neil Gaiman, escritor...


Richard Curtis (roterista de “Vincent and the Doctor”), Steven Moffat (produtor executivo) e Neil Gaiman, escondendo o titulo do seu episódio.

Neil Gaiman, escritor britânico mais conhecido pela graphic-novel Sandman e pelos seus livros adaptados para o cinema Coraline e Stardust vai mesmo escrever um episódio da série. Gaiman passou anos elogiando Doctor Who, falando entre outras coisas, que a série era a sua favorita, talvez por que também fosse a da sua filha de (então) 12 anos, que há episódios da série clássica que ele se recusa a assistir de novo por não querer diluir a impressão que tinha deles quando criança e que a série o deveria algum dinheiro por, durante a temporada de 2005, o nono Doutor vestir a sua roupa característica- camiseta preta e jaqueta de couro. No entanto, um episódio escrito por ele sempre foi rumor que por um motivo ou por outro não se concretizava. Parece que agora vai.

Continua com os detalhes…

Numa entrevista concedida dia 25 de Março em Moscou, ele disse-

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=LqJ1IkCWXkY]

A pergunta foi- “Eu posso contar sobre o que vai ser o meu episódio?”, e a resposta é, “Absolutamente não, absolutamente nada.”. E o que eu posso dizer é, na verdade, eu vou dizer para vocês algumas coisas sobre o meu episódio, nenhumas delas é sobre o que ele é. O meu episódio originalmente deveria ser o décimo primeiro episódio  da temporada que vai começar agora [quinta], mas a BBC não tinha mais dinheiro. Existem alguns episódios que você pode baratear e que quando você ler  pode arranjar alguma maneira esperta de economizar dinheiro. O meu episódio não tem jeito.

Na primeira vez que eu escrevi e entreguei, na minha primeira reunião com o Steven Moffat ele disse “ É ótimo, é maravilhoso, é absolutamente brilhante. Cada episódio de Doctor Who tem 100 horas de trabalho humano em computação gráfica. O seu, nesse momento, tem 630. Você pode diminuir?”. Então, eu diminuí o máximo que pude, mas ainda assim eles não tinham mais dinheiro, então nós adiamos do décimo primeiro episódio da quinta temporada para cerca do segundo ou terceiro episódio da sexta temporada, por que o dinheiro aparece de novo quando eles começam uma nova temporada.

Um tempo atrás tabloídes britânicos disseram que o título original do episódio deveria ser “The House of Nothing” (A casa de/do nada), mas que agora teria mudado. Como sempre, essa informação não tem credibilidade nenhuma.

Particularmente acho que o tom de conto-de-fadas que Gaiman apresentou nos trabalhos citados pode ser muito bem utilizado dentro da proposta do Moffat. Ele também tem o humor britânico (como demonstrado e Good Omens, co-escrito com Terry Pratchett), e sempre dá pra sentir a diferença quando é um fã escrevendo. Ficamos na torcida…

ATUALIZADO– Pequena interação entre Neil Gaiman e Steven Moffat vai twitter.

Quanto aos elogios que a estréia de Sherlock recebeu, Moffat escreveu, no dia 28 de Julho-

SM- Todos esses elogios seriam muito mais divertidos se EU NÃO TIVESSE COMPLETAMENTE ME ESQUECIDO DE COMO SE DEVE ESCREVER!!!!

NG–  @steven_moffat Hah! Você acha que VOCÊ não sabe mais escrever? Você devia ver a bagunça que eu fiz dessa vez. Er, se eu não conseguir consertar antes.

SM- @neilhimself Oh, vai dar tudo certo no final. Nós só vamos chorar muito até lá. Doctor Who TEM QUE ser assim. Eu acho.

NG- Boa notícia: eu escrevi, e coisa boa, saí do inferno das tramas que estava preso. Má notícia: agora eu tenho que cortar umas dez páginas de roteiro.

ATUALIZADO 2- Neil acaba de confirmar via twitter que escreve apenas um episódio. Então nada de duas partes por enquanto.

Foto- Twitter

Universo Who

Publicações feitas por colaboradores que em algum momento fizeram parte da história deste site desde 2009, mas que não mais fazem parte do projeto.

  • Bianca Cavani

    julho 29, 2010 #1 Author

    Eu também estou abandonando essa coisa de assistir novamente a um filme que me deslumbrou no passado. Geralmente o efeito é desastroso. Melhor guardar aquela impressão maravilhosa do passado. Como dizia Heráclito, um mesmo homem ao entrar novamente em um rio nunca é o mesmo… Mas acho que DW – série moderna -, pelo menos da 1a. à 4a., eu vou continuar assistindo pelo resto da vida.

    Responder

  • Alexandre

    julho 30, 2010 #2 Author

    Oooh, Dona Débora, Sandman não é uma Graphic Novel. Tem 60 edições, pô. Nem na edição absoluta juntaram tudo, tiveram que separar em 5 tomos imensos.

    Responder

  • Rafael U. C. Afonso

    julho 30, 2010 #4 Author

    Alexandre :
    Oooh, Dona Débora, Sandman não é uma Graphic Novel. Tem 60 edições, pô. Nem na edição absoluta juntaram tudo, tiveram que separar em 5 tomos imensos.

    Alexandre: Na verdade foram 75 edições mensais, mais um especial (Orpheus) e duas mini-séries sobre a Morte. Pelo menos é isso que me lembro. Não estou contando as Graphic Novels que foram publicadas depois do final da revista mensal.

    Responder

    • R.Martino

      agosto 2, 2010 #5 Author

      Reforçando a informação: Sandman tem também outros dois especiais além de Orpheus: Caçadores de Sonhos e Endless Nights. Além dos spin-offs da Morte, Pequenos Perpétuos e outras séries derivadas, como Lúcifer e Sandman Presents: The Dreaming.

      Se eu não esqueci alguma coisa, acho que é só isso mesmo.

      Responder

  • Paty

    agosto 1, 2010 #6 Author

    Com certeza será maravilhoso, Gaiman é ótimo, espero que seja um episódio em duas partes pelo menos.

    Responder

  • Etel

    agosto 3, 2010 #7 Author

    Eu acho que atualmente o Gaiman virou meio que escritor pop-star. Mas convenhamos que ele tem pode. O cara realmente escreve bem, e mesmo os projetos que não foram bons, sim isso existe, ainda deram bons trabalhos (série Neverwhere para a TV o pessoal não gostou muito, mas tem livro e quadrinhos).
    Eu sou grande fã dele. O ruim sobre isso tudo é a expectativa. Essa pode ser maior que o episódio, o que pode estragar um pouco o divertimento.
    Por fim, estou esperando o Natal e ansiosa pela próxima temporada.

    Responder

  • Alexandre

    agosto 7, 2010 #8 Author

    Putz, foi mal. 60 edições foram Preacher e Y the last man (as ultimas duas coisas da vertigo que eu lí), eu me confundi.

    Mas enfim, hoje em dia se usa o termo Graphic Novel pq é mais chique que dizer que é um gibí;

    Responder

  • Vismael

    outubro 9, 2010 #9 Author

    Não é bem assim Alexandre.

    Gibi é como chamam aqui no Brasil os quadrinhos infantis. Quadrinho adulto continua sendo quadrinho ou Histórias em Quadrinhos (HQ).

    A Graphic Novel se diferencia do “gibi” pelo formato e pelo conteúdo. Enquanto o gibi é tradicionalmente uma historinha cômica ou infantil como Turma da Mônica ou Pato Donald, a Graphic Novel é uma história geralmente voltada ao público adulto, com uma história fechada com início meio e fim e q recebe todo um tratamento gráfico especial: encardernação, capas, tipo de papel de impressão. Muitas vezes a Graphic Novel nem apresenta a história quadro a quadro como no gibi ou quadrinho tradicional, apenas textos e telas q acompanham a história.

    Não é só uma frescura chique. Vc não vai encontrar uma Graphic Novel do Pateta e não vai ver ninguém chamando “Sandman – Caçadores de Sonhos” de gibi.

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *