Este ano, nossa série preferida comemora seu 54º aniversário e, muito mais que boas aventuras, o programa trouxe ao público reflexões sobre diversos aspectos da vida. Nesta... 16 lições que aprendemos com Doctor Who

Este ano, nossa série preferida comemora seu 54º aniversário e, muito mais que boas aventuras, o programa trouxe ao público reflexões sobre diversos aspectos da vida. Nesta lista, trazemos 16 comentários de nossos leitores sobre as coisas mais importantes que aprenderam com Doctor Who. 

Aprendemos com Doctor Whor

“Doctor who me ensinou a ver o mundo de outra maneira, mostrando que ser bondoso, ouvir e ajudar é muito importante mas que, em vários momentos da vida, temos que ser corajosos e enfrentar quem ou o que está impedindo nosso crescimento e mudança. Outro ponto forte da série é que nós mudamos, mas temos que sempre aproveitar tudo o que passamos”. 

Tisha 

 

“A coisa mais importante que Doctor Who me ensinou foi que todos são importantes, todos tem seu valor. Me ensinou a importância da amizade e da família e como é idiota ter preconceitos sobre coisas ridículas quando se tem um universo a fora para explorar. Me ensinou que damos muita importância a coisas desnecessárias e patéticas. E também a ajudar as pessoas mesmo que, talvez, não mereçam”. 

Vanessa Nascimento 

 

 “Doctor Who me ensinou a lutar por aquilo que eu quero pra vida. Quem é fã sabe que o Doutor faria tudo pra proteger suas companions e ele vai até o fim do mundo pra fazer isso. Sigo isso como uma metáfora pra vida. Se quero muito algo, faço de tudo pra realizar esse sonho”.             

Thay Rodrigues 

 

“Me ensinou que o Universo é gigante e cabe, dentro dele, cada sonho e cada realidade do ser, seja humano ou não, e que a humanidade precisa acostumar-se a ideia que NÃO somos os únicos seres inteligentes do Universo”.       

Elisângela de Oliveira 

 

“Que não importa o problema, com criatividade (e um pouco de insanidade) qualquer coisa pode ser resolvida, e que uma jornada só vale a pena se tiver alguém do seu lado pra compartilhar”.     

Fernando B. Lucena 

 

“Me ensinou a viver a vida de forma maravilhosa. Mesmo que haja momentos de escuridão e desesperança, há também maravilhas a serem exploradas universo a fora. Aprendi que há pontos fixos no tempo que não importa quanto eu tente, não vou mudar. Mas há aqueles que eu posso, em que eu posso me firmar e tomar uma posição, assumir controle da minha vida e seguir em frente. Que eu posso mudar tudo, fazer meu destino ser aquilo que eu quero que ele seja”. 

Gabriel Santos 

 

“Ter compaixão sempre. Ensinou que para viver em paz precisamos quebrar o ciclo de retribuir ódio com ódio. Que cada vida, cada pessoa, vale muito para o universo. Que não há pessoas superiores às outras. Me ensinou a pensar mais nas coisas que faço e falo. Me ensinou a não causar discórdia e sim acabar com ela”.          

Rhuan Felipe 

 

“A importância de não olhar o tempo como um monstro devorador de vidas ou algo que simplesmente vai afastar e matar as pessoas que amo, mas sim não deixar que ele não me torne juiz de tudo e de todos. Que eu possa olhar para as pessoas à minha volta e respeitá-las, honrá-las, amá-las… Vê-las como elas realmente são, mesmo que o tempo passe para a nossa carcaça. Isso faz com que o ‘lado de dentro’ – o lado que importa – reflita no ‘lado de fora’”.    

Maquir Alves 

 

“Você é livre para fazer as suas escolhas, mas é obrigado a carregar as consequências delas”. 

Francisco Cavalcante 

 

“Que há sempre esperanças, mesmo que não pareça; que devemos fazer da vida uma história boa e que coisas ruins acontecerão, mas elas não invalidam nem tornam as coisas boas em algo não importante; e que, na maioria das vezes, é bom, e necessário, ter pessoas ao seu lado para dividir o fardo dos momentos ruins e a alegria dos momentos bons”             

Anielly Tedesco 

 

“A série ensinou que é possível se importar. E quando você se importa, você se envolve e sempre faz o seu melhor, sem ser cruel, sem ser covarde. E é possível buscar uma solução pacífica, se você perdoar os próprios erros e os dos outros. A solução é mais importante que o problema”.  

Anônimo 

 

 

“Aprendi a me inspirar em mulheres fortes que não se deixam convencer e impõem suas opiniões, assim como a Donna, não importando se o mundo vai me esquecer ou não, tenho que fazer valer o que quero e lutar para alcançar, pois quando algo der errado, um casamento por exemplo, eu terei que dar a volta por cima e encontrar outros projetos. Aprendi com a Clara Oswald que se eu quiser, e achar correto, posso me entregar a uma causa, seja para ajudar uma pessoa seja para ajudar várias, chegando ao ponto de reconhecer a minha capacidade de pilotar uma Tardis, ser e agir como um Doctor, não apenas me inspirando nas pessoas e sim indo fazer a diferença com elas”. 

Emanuella 

 

“Doctor Who me mostrou que qualquer tipo de vida tem sua beleza” 

Jhodino 

 

“Me ensinou a observar e valorizar duas coisas em todas as pessoas: sua história e seus atos. Uma coisa pode completar a outra – e uma coisa pode contradizer a outra – mas são dois aspectos que falam muito de alguém. Acredito que o seriado me ajudou a enxergar isso com outros olhos!” 

Sam McQueen 

 

“Doctor Who me ensinou que nem sempre o diferente é ruim”.              

Ketellyn Brogian 

 

“Apesar de ser uma série de ficção, nos lembra da real vastidão e complexidade do cosmos, nos põe em nosso lugarzinho, nos ensina humildade, a proteger os outros, que antes de começar temos que assumir que vamos vencer, que sempre temos que lembrar quem fomos, pois somos a soma de erros e acertos do passado, e que, por isso, estamos em constante evolução.”  

Diego Flores 

 

** Alguns depoimentos foram editados por questões de clareza e espaço 

Denise Ferreira

Jornalista apaixonada por histórias e personagens fictícios, principalmente se eles viajarem pelo espaço a bordo de uma cabine azul.

  • Alessandro

    novembro 23, 2017 #1 Author

    Poderiam me dizer quando foi que o Doctor “matou” os Time Lords, o Tennant e o Eccleston viviam dizendo isso???

    Responder

    • Djonatha Geremias

      novembro 24, 2017 #2 Author

      Foi na “Última Grande Guerra do Tempo”, que aconteceu fora das telas, entre o filme de 1996 e a 1ª temporada da série moderna. A gente só vai vê-la acontecer em pequenas cenas da 4ª e da 7ª temporada, em episódios especiais, principalmente no de 50 anos, com John Hurt.

      Responder

  • José Ricardo

    novembro 23, 2017 #3 Author

    Doctor Who é a melhor série?
    a) Sim
    b) Claro
    c) Óbvio

    Responder

  • Francisco Cavalcante

    novembro 23, 2017 #5 Author

    Doctor Who nos ensina muitas coisas, desde pequenas lições que mudam pequenos detalhes de nossas vidas, e até grandes lições que podem levar anos para serem aprendidas.
    Só estou um pouco chateado pois erraram meu nome….

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *